quarta-feira, 18 de maio de 2011

MEU PRETO VELHO...




 - Pelo seu dia, com todo o meu amor!


PAI JOÃO DE CAMARGO



Venha, meu Paizinho Preto

Venha ainda hoje
Precisamos ressucitar o amor
Em algumas lápides-corações
Sussurrar o sonho do Mestre
Com tal suavidade
Que mal poderá ser ouvido
Mas, com o peso e a força
Das ondas do mar, no empuxo
Às vezes, é na guerra
Que se semeia a paz
Outras, é na ternura
Que vergamos um gigante.


Venha, meu Paizinho Preto
Que essa é a hora do espanto
Do meu resguardo em Si
De tudo o que é efêmero
E dos cultos cegos
Confesso-lhe, que das lutas que travei
Sou grata àquelas que não venci
À elas, reputo minha integridade
Recuperadas aos pouco
Sem fúrias, sem ódio
Na fome da alma, amor calado
Essência de um ser incorpório
Que flutua na maré do Tempo
E tranca no peito a ventania
Que perpetua o existir.


Venha, Paizinho Preto
Apetece-me vê-lo aqui
Pois se lhe observo, tão meigo
Contemplo minha própria paz
No altar de sua devoção
Então, meu Preto abençoado
Se sou Cálice que contém a Seiva
Toma-me em suas mãos gentis
Levanta-me como ofertório
Para aqueles que têm sede!

Sem comentários:

Enviar um comentário