sábado, 16 de abril de 2011

OLHAR

OLHAR
É no olhar que te quero
Como louco, poeta e criança
Olhar de sem tempo,
Que me cega por tantos desejos
Que te traz como sonho de verdade

Este olhar onde estou com você
Num mesmo e único querer
Neste encontro perdido e cego
Que só aos loucos e às crianças
É permitido revelar como poesia.

Sem comentários:

Enviar um comentário