terça-feira, 12 de abril de 2011

O que é o ódio?


O que é o ódio? Como posso permanecer calmo e centrado, mas responsável nos momentos cruciais?
A psicologia do ódio é esta: você queria algo e alguém o impediu de conseguir, alguém surgiu como uma pedra, como um obstáculo. Toda a sua energia estava sendo dirigida para conseguir algo e alguém bloqueou essa energia. Você não pôde conseguir o que queria.

Agora essa energia frustrada se transforma em ódio, ódio contra a pessoa que destruiu a possibilidade de realização do seu desejo.

Você não pode impedir o ódio, porque o ódio é um subproduto, mas você pode fazer alguma coisa a mais para que o subproduto não aconteça de forma alguma.

Na vida, lembre-se de uma coisa: nunca deseje algo tão intensamente como se fosse uma questão de vida ou morte. Seja um pouco brincalhão.

Não estou dizendo para não desejar — porque isso seria uma repressão para você. Estou dizendo: deseje — mas deixe seu desejo ser brincalhão. Se você conseguir isso, bom. Se não conseguir, talvez não fosse a hora certa — veremos da próxima. Aprenda algo sobre a arte de jogar.

Nós nos identificamos tanto com o desejo que, quando ele é bloqueado ou impedido, nossa energia se transforma em fogo; ela queima. E nesse estado de quase insanidade você pode fazer algo do qual venha a se arrepender.

Isso pode criar uma série de eventos com os quais toda a sua vida pode se emaranhar. Por causa disso, durante milhares de anos tem-se dito: "Livre-se dos desejos".

Agora, isso é querer algo desumano. Mesmo as pessoas que têm dito: "livre-se dos desejos" também lhe deram um motivo, um desejo: se você se livrar dos desejos alcançará a derradeira libertação de moksha, nirvana. Isso também é um desejo.

Você pode reprimir um desejo por outro maior, e pode até esquecer que ainda é a mesma pessoa. Você apenas mudou de objetivo. Certamente, não existem muitas pessoas tentando atingir moksha, de modo que você não enfrentará muita competição.

De fato, as pessoas ficarão muito contentes pelo fato de você ter-se voltado para moksha — um competidor a menos na vida. Mas, no que diz respeito a você mesmo, nada mudou.

E, se algo pode ser criado que perturbe seu desejo por moksha, novamente o ódio explodirá. E dessa vez será muito maior, porque agora seu desejo é muito maior. O ódio é sempre proporcional ao desejo.

Sem comentários:

Enviar um comentário