quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Viva as Diferenças entre os Sexos!

Por que será que temos um gosto especial por estabelecer comparações entre homens e mulheres? As diferenças entre ambos são tantas que, possivelmente, ficaríamos um dia inteiro selecionando sutilezas de um e de outro sexo. O funcionamento do hipocampo cerebral, por exemplo, é uma diferença considerável, pois trabalha de forma contínua nos homens e cíclica nas mulheres. Só aí já temos um distanciamento estratosférico nas questões comportamentais. E o que dizer da velocidade das cordas vocais, da respiração, do tamanho do cérebro, da massa muscular, da proporção de gordura, da forma de percepção, enfim, são visivelmente desiguais.

E já que falei em cérebro, para desespero dos homens, o fato de o cérebro masculino ser maior e mais pesado que o feminino não significa que o homem é mais inteligente do que a mulher como a maioria afirma. Se os homens são mais eficazes nas questões relacionadas à inteligência não-verbal; as mulheres arrasam nessa área. O quesito "orientação espacial" é ponto para os homens, em contrapartida, as mulheres possuem melhor memória autobiográfica. As mulheres têm maior tendência à depressão, e os homens, segundo dados estatísticos, estão mais sujeitos ao autismo e à esquizofrenia. São tantas sutilezas que às vezes me questiono se não é masoquismo tentar entender e querer ser entendido.

Dados científicos provam que existem disparidades de toda ordem, porém nenhum estudo comprovou supremacia de um sexo em relação ao outro. Enquanto o cérebro feminino é mais voltado à empatia, o masculino é à compreensão. Ninguém duvida de que as mulheres são mais emotivas e conseguem expressar melhor os sentimentos, certo? Entretanto, os homens, por controlarem mais as emoções, são mais aptos à inteligência emocional. Nós, mulheres, temos um poder fantástico de persuasão; já os homens, por possuírem o lobo parietal inferior maior, são objetivamente melhores nas áreas que exigem cálculos. Admitamos, isso tudo é verdade!

Quantas piadas já não sofremos por termos menos neurônios que os homens? Em contrapartida, conseguimos fazer mais sinapses do que eles. Seja como for, não há o que comparar em se tratando de sexo oposto. O que importa é que ambos comungam perfeitamente de sensações as mais diversas possíveis. Então, relevemos as questões específicas de cada sexo e priorizemos a interação, o prazer que é dividir com o outro todas as experiências às quais temos oportunidade de viver. Façamos das sutilezas motivo para o humor. Se fôssemos similares, onde estaria a graça, não é?

Homens e mulheres se sentem atraídos de forma mágica, e isso acontece pela maneira de olhar, num lance de pele, no magnetismo olfativo que evolui para a aproximação permitida de ambas as partes. Que importam as preferências de cor, música, perfume, temperos e livros nessa hora? Qual o peso de termos mais ou menos habilidade nesse ou naquele quesito? As peculiaridades de cada um se encaixam perfeitamente no relacionamento. Seja de forma mais estática ou completamente dinâmica, o fantástico dessa relação é a companhia, a cumplicidade e a diversão de ter alguém com quem compartilhar todas as emoções da vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário