sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O SEGREDO DA VIDA

Vivei cada um dos vossos dias como se fosse o último dia.
Se assim fizerdes, pequeno vos parecerá o tempo para que o desperdiceis em lamentações que de nada vos servem; antes buscareis a alegria em cada momento.
E a encontrareis no simples fato de estar vivos, e nas maravilhas que vos cercam. Pois a alegria vive no sorriso da criança, na flor que desabrocha e na melodia que flutua no ar.
Certo é que vos pertence a Eternidade. Lembrai-vos, todavia, que a cada etapa da jornada devereis vestir novos trajes, e abandonar as vossas paragens, e aqueles que vos são caros.
Desfrutai, portanto, de tudo que agora vos cabe. E aprendei a encontrar a felicidade nas menores coisas, para que cresça em vossas almas, como a pequena semente que no solo fértil se desenvolve.
Assim, sereis capazes de ouvir a canção de agradecimento que emana do vosso verdadeiro Eu; e aprendereis a ser gratos pela vossa saúde, pelo vosso alimento e pelos vossos amores.
Em cada um dos vossos beijos, entregai um pouco do vosso coração. Pois é assim que ele se tornará cada vez maior, para que possa realmente acolher a todos a quem amais.
Em cada uma das vossas lágrimas, chorai toda a vossa tristeza. É preciso limpar de todas as mágoas o vosso verdadeiro Eu, para que nele a alegria volte a fazer sua morada.
Em cada um dos vossos risos, colocai toda a vossa alegria. E a vereis retornar multiplicada para vós, como a água límpida que jorra inesgotável da fonte generosa.
Em cada abraço, ofertai o vosso amor e a vossa solidariedade. Para que retribuídos vos sejam, e a sensação de união possa trazer à vossa 
alma o conforto da companhia.
Vigiai os vossos pensamentos; é deles que nascem as vossas ações, e são elas que determinam o vosso destino. Pois, como a árvore não modifica os seus frutos, não foge o homem às consequências de seus atos.
Afastai de vós o orgulho e a intolerância, que vos podem afastar dos vossos irmãos. Cultivai a generosidade e a compreensão, e colhereis a paz de espírito em cada um de vossos dias.
No templo de vossa alma, edificai o sagrado altar da fraternidade. E nele sacrificai o rancor e a vingança, para que envoltos no doce incenso do perdão vos possais elevar ao coração do Universo.
Quando, de fato, chegar o vosso último dia.

Sem comentários:

Enviar um comentário