sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

AS VOSSAS LEMBRANÇAS

Preservai as vossas lembranças.
É através delas que podeis fugir ao tempo, revivendo os vossos momentos felizes.
E furtar-vos a novos sofrimentos, evitando a repetição desnecessária dos vossos erros.
Lembrai-vos, entretanto, que nelas não encontrareis apenas sorrisos; lágrimas também existirão, e do mesmo modo vos cabe revivê-las.
Porque é entre sorrisos e lágrimas, que transcorrem os vossos dias. E as vossas lembranças não existem para o vosso deleite ou sofrimento; são as páginas onde está gravada a vossa história.
Nada deveis lamentar, do que tendes vivido. Pois é preciso que a semente mergulhe na terra, em meio ao estrume, para que a planta possa brotar em toda a sua força e beleza.
Assim, foram os piores momentos que vos ensinaram as mais valiosas lições. E, se muitos dos vossos risos foram esquecidos, as lágrimas sofridas persistem em vossa memória.
Viajai, sim, nas vossas lembranças. Guardai-vos, entretanto, para que o tempo não as distorça, qual colorido vitral, fazendo-as parecer diferentes do que foram na verdade.
Porque assim acontece aos dias passados: através da bruma das lembranças, mais vivos vos parecem do que realmente foram; mais belos se mostram os sonhos, mais amargas as decepções.
Mais intensos se tornam os amores, mais dolorosas as despedidas; mais melodiosas as canções, mais perfumadas as flores, mais belas as noites e mais triste cada desencanto.
O homem sonha a sua vida, enquanto vive os seus dias. E para amenizar o cinza do presente, cobrimos o passado com as tintas do nosso ideal e o futuro com as cores da esperança.
Necessitais lembrar-vos, todavia, que do que hoje fizerdes dependerão as lembranças que tereis amanhã. E viver no passado é alienar-se do presente e prejudicar o futuro.
A felicidade não está no exagero dos extremos, mas no equilíbrio do meio. E a sabedoria consiste em lembrar o passado, viver o presente e construir um futuro melhor em cada dia.
Preservai, sim, as vossas lembranças. Elas vos ajudarão a escolher as sementes que plantareis na terra fértil do vosso presente.
E cujos frutos colhereis no futuro.

Sem comentários:

Enviar um comentário