segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

PRELÚDIO DE AMOR



Que maravilha o fim de tarde
que enxovalha, invade.
A vermelhidão no céu... não é por acaso
ao contrário de quando eu desenhava em folhas de papel.
O sol me dando “tiau” dizendo que ocaso não é o fim
é o prelúdio da vida que se renova em mim.
Ele me diz que volta amanhã, logo de manhã
trazendo na brisa um cheiro de hortelã.
Brincando entre nuvens, lá vem a lua elegante
num outro instante me dizendo “olá”.
Ela vem com seus raios, meus lençóis clarear.
É tão bom quando ela vem.
Eu, simpático, enfático, digo “olá” também.
Estrelas coadjuvantes parecem valsar em torno da lua,
em conjunto clareiam minha rua
tornando-a mais bela ainda.
Ah, como a noite está linda!
Merece até uma prece.
Enfim amanhece...
Sinto-me um girassol sob esse arrebol
de tão perfeito dia.
Parece que Deus me fez uma poesia.
Como são belos, o rio, a montanha, as borboletas
os lírios no campo, as violetas.
E o que dizer desse cheiro de jasmim?
A vida me chama e eu digo SIM.
Como é lindo esse viver!
Como é forte o meu querer!

Sem comentários:

Enviar um comentário