quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Exatidão


Em tantos momentos te busquei
Fiz versos na areia com teu nome, insígnia
Construí pensamentos distantes
Para encontrar talvez o instante que eu
Poderia te sentir ao meu lado, junto, perto.

Meus motivos estavam dispostos
Dentro de mim, gritavam em sentidos
Loucos, derivados, intensos
Como forma de te ver, de te imaginar

Eram tantas as esquinas que meus olhos
Percorriam, e nada de você chegar
Nada do teu sorriso
E nem do seu perfume

Eu me julgava obscura, discretamente
Injustiçada pelo tempo, pelas certezas
Mais quando você se prendeu a mim em pura liberdade
Eu conheci a beleza de toda a minha exatidão!

Sem comentários:

Enviar um comentário