sábado, 23 de outubro de 2010

POEMA DESEJO


DESEJO

Advirá de sonho, prevejo
Depois a mente persegue
Torna-se num incontrolável desejo
Desejo que amamos e carregamos
Devemos saber esperar pelo ensejo
Com imaginação lutamos
Acontece, não somente com o amor
Para efectivar o que amamos
Será esse amor que nos move
Para a superação lutamos, lutamos
Havemos de mostrar, calmamente
Que não haja enganos
Temos dignidade para pertencer
À classe de bons seres humanos
Amar apenas um ser
A todo o mundo, mesmo o de enganos
Deixar testemunho de imediato
Sabemos que seremos recordados
Por mais algum tempo apenas em recato
Que isso não importe
Amemos sempre
Saibamos esperar e amar a irmã morte
Poder dizer-lhe amei, sonhei e realizei
Tens sorte
Podes levar-me
Tu que nunca poupaste alguém
Ainda que poderosos e convencidos
De que lhes serve olhar o mundo com desdém
Se vivem angustiados e amaldiçoados
Para acabar, como todos, no além!

Sem comentários:

Enviar um comentário