domingo, 24 de outubro de 2010

OLHOS QUE SEJAM HOLOFOTES


OLHOS QUE SEJAM HOLOFOTES

A noite hoje está mais escura...
Há uma sombra que não é desconhecida
mas eu fujo tanto dela...
está em mim...
Não trouxe meu alforje
Com os objetos que me trazem alento e defesa
Um punhado de lápis apontados
Umas folhas em branco
Uns escritos que fiz para dar para moças
que causam nelas
risos ou espantos
Um saca-rolhas
Umas pétalas de flores que ganhei
e outras que tentei dar e não aceitaram...
e que deixam perto de mim um cheiro tão bom!
Mas hoje por descuido falta o cheiro
e os documentos de que sou uma busca...
Tento andar imaginando que vão descobrir em mim
que visto uma fantasia que revela que sei falar com anjos
e margaridas...
sei colorir e adivinhar o que as nuvens formam
que não estão guardados em baús ,gavetas,ou cômodas velhas
o quanto sou lírico
estão em meus olhos...
e que nessa noite
o escuro maior de hoje
é que não sei oferecer meus olhos
ando precisando arregalar-me
até que eles prestem para que me enxerguem...

Sem comentários:

Enviar um comentário