domingo, 24 de outubro de 2010

O POETA E SEUS PERSONAGENS


O POETA E SEUS PERSONAGENS

Vou deixar que me decifrem
dia desses...
Mas dessa devassa arriscada,
Sobre olhares suspeitos
de meus personagens
em risinhos pervertidos,
de quem são donos de segredos
e nem são...
digo...
sabem eles apenas que
não se acha nada em mim
senão eles mesmos...

Eu os alimentei com vaidades...
e outros pecados tantos
que nem sei
e nem eles
o que é pecado mais...

Mas há algo fácil de ler...
Não vão encontrar muitas coisas
que ensinem nada à medicina
ou à filosofia...
Melhor que deixem os loucos sem cura
e os postos em paixão continua com esse infortúnio curioso...
Esse tipo de gente
competem certos
de que qualquer coisa fora
do contesto do risco total pela alegria
não há vida!

Sem comentários:

Enviar um comentário