quarta-feira, 27 de outubro de 2010

IRREVERENTE SAUDADE


.Sutis lembranças,
São as que trago
A borda dos olhos.
No retiro dos campos
De sons ocultos,
Que o silêncio ,se faz prece.
Irreverente é a saudade
Que sinto de mim.

Sem comentários:

Enviar um comentário