sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Em letras...

Quando escrevo me derramo!
Não me importo com rimas .
Eu escrevo o que gosto,
Mesmo não sendo obra prima.

Escrevo desde bem menina
Talvez seja esta minha sina...
Jogo aqui meus sentimentos,
E até meus tolos momentos.

Gosto de escrever poesia, mesmo que
sejam versos adocicados e sensiveis.
Invento romances, paixões impossíveis,
Aventuras que nunca vivi e as que tive.

Falo das reais delicias de amar,
E das fantasias e sonhos jogados ao mar...
Falo de mãos que percorrem meu corpo sedento,
E dos meus sonhos sendo levados ao vento!

Falo do que sinto e do que invento,
Dos meus sorrisos, e das minhas dores,
Falo dos meus inventados amores,
E de um insano dialogo com as flores!

Gosto de escrever pequenos desvarios,
Falar do mar, da correnteza dos rios,
Das irrealidades de minha visão,
que ainda vê nuvens em forma de coração...

Escrevo sobre coisas que gosto,
E sobre pessoas que desgosto.
Falo da chuva que molha um amor,
Mas falo também da solidão e da dor!

Eu escrevo com rimas sim,
Porque aqui me derramo em mim...
Com a gramática não me preocupo,
É com as emoções que me ocupo.

Me tranformo em fada, em princesa,
As vezes sou simples suburbana...
Ou posso ser da noite aquela dama,
Que ao acordar já abandonou sua cama.

Sou nos meus escritos o que eu quiser.
Posso ser doce e pura como um anjo,
Ou maldosamente um desarranjo.
Prefiro ser sonhadora em forma de mulher!

E assim sigo escrevendo,
Faço dos meus versos,meu refugio,
Meu invisível e mágico castelo.
Deixo aqui rastros do que é triste.
E imensas pegadas do que é belo!

Sem comentários:

Enviar um comentário