segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ELE QUE ME CARREGUE



E o que dizer do coração?
Eu tenho medo dele.
Ele tem vida própria.Não me conhece mais. Isso se um dia o fez...
Tanto faz.
Ele bate no ritmo dele.
To nem aí. To nem ali.
Tu tá aqui.

Tanto faz .
Eu to ali. Tu tá aqui.
Não. Tu tá lá.
Fazer o quê. É assim a vida.
Numa avenida, porém, tudo pode mudar.
E muda.
Desejo meu: mudar o teu.
O vento muda de direção.
As palavras entram no coração.
O beijo não sai da memória.A vida que faz sua estória. O olhar é de esperança . o meu.
O olhar é de distância. o teu.

Tudo bem. Tudo ruim. tanto faz.

Se a chuva esconder minha lágrima.
E o sol iluminar teu sorriso.
Me faz alegre te ver feliz.Me deixa triste não saber.O que fazer.Mas tanto faz. ou muito faz.Sem escolher, se vai.
A estrada segue.
Não há quem negue: desapego fere.

Mas a vida muda.

Ou nós mudamos.
Sempre.

Riachos mudam os caminhos. Pássaros voam sem direção.O coração é burro demais da conta.Mas ele sabe como é.
Ou não.
Tanto faz. Sei lá.
O juízo é doido.

Foge da gente
Brinca de esconder. Mesmo sem querer.
Não sei se um dia vou achar.
De novo, o tal juízo.Deixa ele escondido.
Quero mais é ser feliz.
E te ver sorrir.
O coração é bicho safado.
Escorre do nosso querer.
Impalpável, assim como você.
O coração é burro.
E eu que o carregue.
Mas estou viva. E sinto.Muito.
Agora deixo, então.O coração que me carregue.

Sem comentários:

Enviar um comentário