sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Almas Perdidas



Nossas vozes calam-se
em trajetórias abertas,
num arfar de paz
sobre cálidas noites

Memórias são resgatadas
do meu mundo,
dos nossos sonhos
de nossas vidas

A tua voz passeia
em minha mente,
nossos olhos se entregam
cúmplices de amor

Vamos além da saudade,
na imensidão deserta
cinza dos céus,
enfrentando os assombros
de nossas tempestades

Sem comentários:

Enviar um comentário